segunda-feira, 23 de maio de 2016

domingo, 22 de maio de 2016

quinta-feira, 19 de maio de 2016

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Tempo

E com o tempo o coração volta-se a curar e amar novamente. A distância ajuda muito, focar no trabalho também e o tempo só traz coisas boas nas alturas certas. Nunca pensei que fosse  ficar tão feliz por não estar com ele e começar a iludir-me com alguém novo. Sinto que foi rápido de mais, mas olhando para trás, vejo que já passaram uns meses valentes. Estive tão focada em outras coisas que nem notei que o tempo foi passando e foi curando a minha alma. Hoje, sinto-me feliz e iludida por um sorriso. 
E já ando a iludir-me outra vez, não tenho mesmo emenda. 

segunda-feira, 9 de maio de 2016

The Boy Who Sits in Front of Me


Queria tanto que ele não ouvisse as coisas que ela diz sobre mim. Queria tanto que ele não acreditasse e que o brilho dos olhos dele não desaparece-se assim de um momento para o outro. Queria ser especial para ele!

O momento foi-se

E pronto! Veio ela para estragar tudo o que ainda nem tinha começado com o rapaz. Aquele momento especial que fazia levantar-me de manhã com um sorriso na cara evaporou-se com o veneno da víbora.  Ela contaminou-o! Agora o bom dia nunca vai soar tão especial, os olhares nunca vão ter aquele brilho e o até amanhã não vai ser unicamente para mim.

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Mágoas Antigas

Relembrei mágoas antigas ao ver a reportagem de bullying no "E se fosse consigo?". Ouvir os relatos daqueles pobres miúdos fez-me lembrar do que passei na escola. As coisas que fizeram-me e muitas vezes batiam-me à frente de professores e funcionários e eles fechavam os olhos. Ninguém fazia nada. Faziam de conta que não viam o que se estava a passar. Sei perfeitamente o que eles passaram, o sofrimento que é. O medo de ir para a escola. Mas isso já lá vai. Hoje sou uma mulher forte, ainda tenho marcas, mas posso dizer que isso tornou-me mais forte. E uma das grandes ironias é que estou bem melhor do que os meus agressores.
Mas o que doeu-me mais foi a resposta de uma amiga quando contei que sofri de bullying. 
"Isso é tudo da tua cabeça!" - disse ela. Como se ser um saco de pancada fosse tudo da minha cabeça. Como se eu fosse louca ao imaginar-me levar porrada. Foi  a partir desse momento que ela deixou de ser minha amiga. Saudades dela? Nem por isso...