terça-feira, 30 de dezembro de 2014

2015

Desejo a todos umas boas entradas para amanhã e que 2015 seja um ano cheio de coisas boas.

2014

Bem, este ano foi um ano atribulado, cheio de emoções fortes!
Fui operada, não consegui acabar a licenciatura, fui à minha primeira entrevista de emprego, apanhei uma desilusão com o rapaz, fiz um tratamento forte por causa do meu problema de saúde e por consequência anda cair-me o cabelo todo, comecei a estagiar e cometi loucuras das quais arrependo-me profundamente.
Esses foram os pontos mais altos deste ano. Não considero que tenha sido um bom ano mas também não acho que foi mau de todo. Tive momentos infelizes e momentos felizes, mas isso faz parte da vida, os momentos menos bons não duram para sempre, como acontece também com os momentos bons, nada é eterno.
Neste ano fiz coisas que não deveria ter feito e arrependo-me, mas já está feito e agora não há nada a fazer. Resta-me enfrentar as consequências e seguir em frente. Ninguém é perfeito e todos cometemos erros. Eu cometi os meus e aprendi com eles. E acho que isso é o que é mais importante.

Espero que o ano 2015 tenha muitas coisas boas. E vai ser já nesse ano que vou terminar uma etapa e começar outra nova.

É isso!


segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

É fácil julgar os outros, mandar bocas para o ar sem saber de nada. Sem saber da vida que o outro leva, de saber o que realmente é estar na pele dele. Cada um tem o seu caminho a percorrer e cada um tem os seus obstáculos.

Só falsidade

Hoje no escritório houve uma discussão entre duas colegas. Uma delas era aquela tipa que no outro dia meteu-me numa pilha de nervos, a S. E a outra vou retrata-la por C.
Depois da discussão ter acabado e de cada uma ter ido para o seu cantinho, houve uma terceira mulher, a I, que foi falar com a C para falar mal da S.
Depois da C ter saído do escritório, a I foi falar com a S para falar mal da C.

domingo, 28 de dezembro de 2014

"Fechar os olhos não muda nada. As coisas não desaparecem pelo simples facto de não as estares a ver. Pelo contrário. Da próxima vez que abrires os olhos, revelar-se-ão ainda piores." - Haruki Murakami (Kakfa à beira-mar)

Preciso de ter alguém que sinta o mesmo que sinto por ele. 
Preciso de um amor correspondido.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Diferente

Quase todos vêm-me como se fosse algo de outro mundo, algo fora do normal. Todos acham-me diferente, por simplesmente não ter os mesmos gostos que eles têm. A sociedade gosta de ditar que para seres feliz precisas seguir um protótipo. Precisas de gostar o que a maioria gosta e de fazer o que a maioria faz, se não o fizeres, és considerado diferente. E sinto isso na pele. Tantas vezes as pessoas tentam dizer-me “Não podes ser assim!”. E perguntou-me, porquê? Porquê que não posso ser como eu sou? Porquê que tenho que ser igual aos outros? Não consigo perceber.
Não sei qual o mal de ser diferente, de ter gostos diferentes, de ter opiniões diferentes.
Confesso que construí uma barreira invisível que mantém-me uma certa distância dos outros, não deixo os outros entrar assim tão facilmente. Prefiro ficar sozinha dentro da minha barreira de protecção do que deixar os outros entrar. Isso pode ter-me afastado muito dos outros, pode ter sido isso, a razão de não ser uma faladora nata. De não conseguir exprimir-me pela fala. Sim a minha comunicação não é das melhores, muitas vezes pareço uma retardada a falar. Mas verdade é que desde pequena nunca fui muito faladora, fui sempre reservada. Parece que já está-me no sangue. E nunca gostei muito das interacções sociais, gosto de falar com as pessoas, mas só com aquelas que fazem-me sentir à vontade e que sei que não estão a julgar-me. Com essas pessoas falo pelos cotovelos e nunca mais paro. Enquanto com outras, que nem sequer conheço, nem digo um piu. Isso é umas das razões pelo que acham-me diferente.
Depois vêm os gostos, não sou aquela pessoa que gosta de sair à noite como muitos jovens o fazem. Sou daquelas que prefere ficar em casa do que ir sair para beber uns copos ou para conviver. E sinto-me bem assim e não sei porque raio os outros não conseguem ver isso. Só por não gostar de álcool já sou vista de lado e muitos querem que comece a gostar só porque sim.
Mas eu sou assim, não gosto do sabor do álcool, não gosto de café (só com leite ou chocolate), não gosto de sair à noite e não sou uma pessoa sociável como muitos o são. E isso faz-me parecer um bicho raro, algo do outro mundo.
Acredito que há muita gente por aí, igual a mim ou com gostos semelhantes aos meus. Não devo ser a única ave rara.
Mas é triste que a sociedade tente mudar aquilo que nós somos. 

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Todos a desejarem um feliz natal e a darem beijinhos, e por trás é só falar mal.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Almoço de Natal

Amanhã vai ser o dia da hipocrisia. Vão se juntar todos na hora de almoço para brincarem ao faz de conta. Vão estar todos alegres, agarrados uns aos outros, a mostrarem que são uma grande equipa e que todos se dão bem!
E além disso, vou ter que fazer uma apresentação. E de certeza que a bruxa de ontem vai começar atacar-me mas só que desta vez, vou tentar manter-me calma e fazer-lhe frente.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Mau dia!

O meu dia no estágio foi uma autentica porcaria. Passei-me completamente com uma gaja de lá.
Tenho mostrado o site à minha coordenadora, é ela que tem estado acompanhar e tem dito que está tudo bem.  E sempre ficou combinado em primeiro meter os conteúdos e depois tratar do design. E hoje vem uma tipa do departamento de design e fotografia com um ar de cabra. E começa a mandar vir de uma forma autoritária por causa que não gostou de uma montagem que foi feita por uma colega dela. 
E num tom de cabra diz "Ah então agora quem faz as montagens é a Joana.".  
E depois começa a fazer perguntas sem pés e sem cabeça. E eu a passar-me completamente com ela.
Então não é que a estúpida da mulher quer que o back office do site seja como um photoshop. Isso é tão parvo! É como alguém vir dizer que quer que o blogspot seja um photoshop para poder editar imagens para meter no site. Isso a meu ver, não tem sentido nenhum. O photoshop foi criado por alguma razão! E se ela tem o photoshop e  trabalha com ele diariamente porque não pode editar primeiro e depois meter no site?  
E ainda quer meter fotos de grande tamanho para depois recortar e tratar da imagem, isso tudo no backoffice do site. Será que ela é assim tão parva? 
É que isso não pode ser, porque vai sobrecarregar o servidor. O ideal seria não ultrapassar os megasbytes. Parece que a tipa não tem nada na cabeça. 
E ela a perguntar se tinha algum tipo de letra predefinido e eu  a dizer que sim e que se quiser até podia alterar para outra nos artigos.
E ela responde assim: "Então mas acabaste de dizer que podíamos alterar é porque afinal não tem." Aqui só apetecia-me ter lhe dado um par de estalos.O que quis dizer é que se ela nos artigos não escolher nenhum tipo de letra, os artigos ficam com o predefinido caso contrário, ficam com o tipo de letra que ela escolheu. Posso não ter explicado da melhor forma mas também não era preciso fazer aquela cara de cabra. 
Fiquei numa pilha de nervos e por causa disso nem conseguia pensar nada de jeito e não consegui fazer-lhe frente. Só depois de ter acalmado é que veio logo à cabeça umas belas respostas que ela merecia de ouvir. 
E agora perguntou-me se ela formou mesmo em design é que uma vez pedi-lhe para refazer o logótipo da empresa por umas medidas que dei e ela antes de fazer isso, não! Redimensionou a imagem. Mas ela via perfeitamente que assim não dava porque não se via nada. E mesmo assim, mandou-me a imagem toda desfocada. Por isso, estive estar eu a fazer. 
É preciso muita paciência com ela e depois do dia de ontem de ter recebido uma má noticia relacionada à minha saúde, a paciência que tinha foi-se toda. 
E depois insinua que os outros não sabem fazer montagens, pois, ela deve falar por experiência própria porque as montagens que ela mete no facebook são mesmo horríveis é que nem parece que está no departamento de design e fotografia. 
E também não consigo perceber o porquê de ela ser a única do escritório a ter um Mac e não um toshiba como os outros. A sério que não! Porque raio compraram-lhe um pc caro e o resto dos trabalhadores de cada departamento ficaram com um toshiba?
O que valeu foi a minha coordenadora. Assim que a bruxa foi-se embora, veio ter comigo a dizer para não ligar-lhe e as coisas é que estão bem assim.
Ela lá deve ter ouvido a conversa e veio tentar acalmar-me. Pelo menos nem todas as pessoas são más lá.
Cá no fundo só apetecia-me gritar e chorar, mas aguentei-me a brava!

domingo, 14 de dezembro de 2014

Será que é muito egoísmo da minha parte de querer encontrar alguém que seja só meu e de mais ninguém?

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Há dias em que nem devia sair de casa e hoje foi um desses dias!

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

"Só me apetece chorar. Mas as lágrimas não serviriam de nada e nem trariam ninguém em meu socorro." - Haruki Murakami (Kafka à beira-mar)

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Umas semanas atrás

Estava eu muito bem no comboio e à minha frente estavam uns rapazes a falarem de coisas do meu curso, por isso, despertou logo o meu interesse e fiquei atenta à conversa. Fiquei com a sensação que deviam estar no mesmo curso que eu mas em universidades diferentes. Até achei um deles super fofinho e olhei para esse com mais atenção e pensei para mim mesma. "Epah eu era capaz de-me apaixonar por este." E passado uns segundos, como se tivesse adivinhado o meu pensamento, ele olhou para mim e sorriu-me. E eu, como sou parva, virei a cara. É que nem sequer contribui o sorriso. Mas não fiz por mal, foi um impulso. Não estava nada a espera. Estar a pensar naquilo e logo a seguir o rapaz  olha para mim e sorri. Foi mesmo estranho mas ao mesmo tempo foi engraçado. Mas depois esqueci o assunto. E hoje lembrei-me outra vez e comecei a matutar, será que aquilo não terá sido algum sinal? Ou será que foi só uma coincidência?

domingo, 7 de dezembro de 2014

Detesto quando as pessoas são cuscas e só vêm falar para saber se estou a trabalhar ou se já acabei o curso.
Se elas se preocupassem mais com a vida delas seriam muito mais felizes.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

"- ... Até mesmo os encontros fortuitos.... como é o resto da frase?
- São fruto do destino.
- É isso mesmo. Mas o que é que isso significa?
- Que todas as coisas na vida são determinadas por uma vida anterior. Que neste mundo não há coincidências e que até as coisas mais insignificantes não acontecem por acaso." - Haruki Murakami (Kafka à beira-mar)

Feliz

E já está quase a fazer dois meses que estou no estágio. O tempo passa mesmo rápido é que nem sequer dou por ele. Mas está a ser uma boa experiência. Ao principio foi assustador porque tive que sair da minha zona de conforto, algo que não estava acostumada a fazer, mas depois passou. E parecendo que não ao sair da minha zona de conforto só fez-me bem. Sinto-me diferente, ando mais motivada e feliz. Também tenho dias menos bons mas é como tudo na vida, não se pode ter sempre um mar de rosas, não é verdade? Mas mesmo assim sinto-me bem. E a época do Natal também ajuda muito para a minha felicidade. Mas o estágio está a fazer-me crescer a nível pessoal e profissional, o que é bastante bom para mim. E ando com uma vontade enorme de experimentar novas coisas só que não há tempo para tudo.