terça-feira, 30 de dezembro de 2014

2015

Desejo a todos umas boas entradas para amanhã e que 2015 seja um ano cheio de coisas boas.

2014

Bem, este ano foi um ano atribulado, cheio de emoções fortes!
Fui operada, não consegui acabar a licenciatura, fui à minha primeira entrevista de emprego, apanhei uma desilusão com o rapaz, fiz um tratamento forte por causa do meu problema de saúde e por consequência anda cair-me o cabelo todo, comecei a estagiar e cometi loucuras das quais arrependo-me profundamente.
Esses foram os pontos mais altos deste ano. Não considero que tenha sido um bom ano mas também não acho que foi mau de todo. Tive momentos infelizes e momentos felizes, mas isso faz parte da vida, os momentos menos bons não duram para sempre, como acontece também com os momentos bons, nada é eterno.
Neste ano fiz coisas que não deveria ter feito e arrependo-me, mas já está feito e agora não há nada a fazer. Resta-me enfrentar as consequências e seguir em frente. Ninguém é perfeito e todos cometemos erros. Eu cometi os meus e aprendi com eles. E acho que isso é o que é mais importante.

Espero que o ano 2015 tenha muitas coisas boas. E vai ser já nesse ano que vou terminar uma etapa e começar outra nova.

É isso!


segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

É fácil julgar os outros, mandar bocas para o ar sem saber de nada. Sem saber da vida que o outro leva, de saber o que realmente é estar na pele dele. Cada um tem o seu caminho a percorrer e cada um tem os seus obstáculos.

Só falsidade

Hoje no escritório houve uma discussão entre duas colegas. Uma delas era aquela tipa que no outro dia meteu-me numa pilha de nervos, a S. E a outra vou retrata-la por C.
Depois da discussão ter acabado e de cada uma ter ido para o seu cantinho, houve uma terceira mulher, a I, que foi falar com a C para falar mal da S.
Depois da C ter saído do escritório, a I foi falar com a S para falar mal da C.

domingo, 28 de dezembro de 2014

"Fechar os olhos não muda nada. As coisas não desaparecem pelo simples facto de não as estares a ver. Pelo contrário. Da próxima vez que abrires os olhos, revelar-se-ão ainda piores." - Haruki Murakami (Kakfa à beira-mar)

Preciso de ter alguém que sinta o mesmo que sinto por ele. 
Preciso de um amor correspondido.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Diferente

Quase todos vêm-me como se fosse algo de outro mundo, algo fora do normal. Todos acham-me diferente, por simplesmente não ter os mesmos gostos que eles têm. A sociedade gosta de ditar que para seres feliz precisas seguir um protótipo. Precisas de gostar o que a maioria gosta e de fazer o que a maioria faz, se não o fizeres, és considerado diferente. E sinto isso na pele. Tantas vezes as pessoas tentam dizer-me “Não podes ser assim!”. E perguntou-me, porquê? Porquê que não posso ser como eu sou? Porquê que tenho que ser igual aos outros? Não consigo perceber.
Não sei qual o mal de ser diferente, de ter gostos diferentes, de ter opiniões diferentes.
Confesso que construí uma barreira invisível que mantém-me uma certa distância dos outros, não deixo os outros entrar assim tão facilmente. Prefiro ficar sozinha dentro da minha barreira de protecção do que deixar os outros entrar. Isso pode ter-me afastado muito dos outros, pode ter sido isso, a razão de não ser uma faladora nata. De não conseguir exprimir-me pela fala. Sim a minha comunicação não é das melhores, muitas vezes pareço uma retardada a falar. Mas verdade é que desde pequena nunca fui muito faladora, fui sempre reservada. Parece que já está-me no sangue. E nunca gostei muito das interacções sociais, gosto de falar com as pessoas, mas só com aquelas que fazem-me sentir à vontade e que sei que não estão a julgar-me. Com essas pessoas falo pelos cotovelos e nunca mais paro. Enquanto com outras, que nem sequer conheço, nem digo um piu. Isso é umas das razões pelo que acham-me diferente.
Depois vêm os gostos, não sou aquela pessoa que gosta de sair à noite como muitos jovens o fazem. Sou daquelas que prefere ficar em casa do que ir sair para beber uns copos ou para conviver. E sinto-me bem assim e não sei porque raio os outros não conseguem ver isso. Só por não gostar de álcool já sou vista de lado e muitos querem que comece a gostar só porque sim.
Mas eu sou assim, não gosto do sabor do álcool, não gosto de café (só com leite ou chocolate), não gosto de sair à noite e não sou uma pessoa sociável como muitos o são. E isso faz-me parecer um bicho raro, algo do outro mundo.
Acredito que há muita gente por aí, igual a mim ou com gostos semelhantes aos meus. Não devo ser a única ave rara.
Mas é triste que a sociedade tente mudar aquilo que nós somos. 

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Todos a desejarem um feliz natal e a darem beijinhos, e por trás é só falar mal.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Almoço de Natal

Amanhã vai ser o dia da hipocrisia. Vão se juntar todos na hora de almoço para brincarem ao faz de conta. Vão estar todos alegres, agarrados uns aos outros, a mostrarem que são uma grande equipa e que todos se dão bem!
E além disso, vou ter que fazer uma apresentação. E de certeza que a bruxa de ontem vai começar atacar-me mas só que desta vez, vou tentar manter-me calma e fazer-lhe frente.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Mau dia!

O meu dia no estágio foi uma autentica porcaria. Passei-me completamente com uma gaja de lá.
Tenho mostrado o site à minha coordenadora, é ela que tem estado acompanhar e tem dito que está tudo bem.  E sempre ficou combinado em primeiro meter os conteúdos e depois tratar do design. E hoje vem uma tipa do departamento de design e fotografia com um ar de cabra. E começa a mandar vir de uma forma autoritária por causa que não gostou de uma montagem que foi feita por uma colega dela. 
E num tom de cabra diz "Ah então agora quem faz as montagens é a Joana.".  
E depois começa a fazer perguntas sem pés e sem cabeça. E eu a passar-me completamente com ela.
Então não é que a estúpida da mulher quer que o back office do site seja como um photoshop. Isso é tão parvo! É como alguém vir dizer que quer que o blogspot seja um photoshop para poder editar imagens para meter no site. Isso a meu ver, não tem sentido nenhum. O photoshop foi criado por alguma razão! E se ela tem o photoshop e  trabalha com ele diariamente porque não pode editar primeiro e depois meter no site?  
E ainda quer meter fotos de grande tamanho para depois recortar e tratar da imagem, isso tudo no backoffice do site. Será que ela é assim tão parva? 
É que isso não pode ser, porque vai sobrecarregar o servidor. O ideal seria não ultrapassar os megasbytes. Parece que a tipa não tem nada na cabeça. 
E ela a perguntar se tinha algum tipo de letra predefinido e eu  a dizer que sim e que se quiser até podia alterar para outra nos artigos.
E ela responde assim: "Então mas acabaste de dizer que podíamos alterar é porque afinal não tem." Aqui só apetecia-me ter lhe dado um par de estalos.O que quis dizer é que se ela nos artigos não escolher nenhum tipo de letra, os artigos ficam com o predefinido caso contrário, ficam com o tipo de letra que ela escolheu. Posso não ter explicado da melhor forma mas também não era preciso fazer aquela cara de cabra. 
Fiquei numa pilha de nervos e por causa disso nem conseguia pensar nada de jeito e não consegui fazer-lhe frente. Só depois de ter acalmado é que veio logo à cabeça umas belas respostas que ela merecia de ouvir. 
E agora perguntou-me se ela formou mesmo em design é que uma vez pedi-lhe para refazer o logótipo da empresa por umas medidas que dei e ela antes de fazer isso, não! Redimensionou a imagem. Mas ela via perfeitamente que assim não dava porque não se via nada. E mesmo assim, mandou-me a imagem toda desfocada. Por isso, estive estar eu a fazer. 
É preciso muita paciência com ela e depois do dia de ontem de ter recebido uma má noticia relacionada à minha saúde, a paciência que tinha foi-se toda. 
E depois insinua que os outros não sabem fazer montagens, pois, ela deve falar por experiência própria porque as montagens que ela mete no facebook são mesmo horríveis é que nem parece que está no departamento de design e fotografia. 
E também não consigo perceber o porquê de ela ser a única do escritório a ter um Mac e não um toshiba como os outros. A sério que não! Porque raio compraram-lhe um pc caro e o resto dos trabalhadores de cada departamento ficaram com um toshiba?
O que valeu foi a minha coordenadora. Assim que a bruxa foi-se embora, veio ter comigo a dizer para não ligar-lhe e as coisas é que estão bem assim.
Ela lá deve ter ouvido a conversa e veio tentar acalmar-me. Pelo menos nem todas as pessoas são más lá.
Cá no fundo só apetecia-me gritar e chorar, mas aguentei-me a brava!

domingo, 14 de dezembro de 2014

Será que é muito egoísmo da minha parte de querer encontrar alguém que seja só meu e de mais ninguém?

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Há dias em que nem devia sair de casa e hoje foi um desses dias!

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

"Só me apetece chorar. Mas as lágrimas não serviriam de nada e nem trariam ninguém em meu socorro." - Haruki Murakami (Kafka à beira-mar)

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Umas semanas atrás

Estava eu muito bem no comboio e à minha frente estavam uns rapazes a falarem de coisas do meu curso, por isso, despertou logo o meu interesse e fiquei atenta à conversa. Fiquei com a sensação que deviam estar no mesmo curso que eu mas em universidades diferentes. Até achei um deles super fofinho e olhei para esse com mais atenção e pensei para mim mesma. "Epah eu era capaz de-me apaixonar por este." E passado uns segundos, como se tivesse adivinhado o meu pensamento, ele olhou para mim e sorriu-me. E eu, como sou parva, virei a cara. É que nem sequer contribui o sorriso. Mas não fiz por mal, foi um impulso. Não estava nada a espera. Estar a pensar naquilo e logo a seguir o rapaz  olha para mim e sorri. Foi mesmo estranho mas ao mesmo tempo foi engraçado. Mas depois esqueci o assunto. E hoje lembrei-me outra vez e comecei a matutar, será que aquilo não terá sido algum sinal? Ou será que foi só uma coincidência?

domingo, 7 de dezembro de 2014

Detesto quando as pessoas são cuscas e só vêm falar para saber se estou a trabalhar ou se já acabei o curso.
Se elas se preocupassem mais com a vida delas seriam muito mais felizes.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

"- ... Até mesmo os encontros fortuitos.... como é o resto da frase?
- São fruto do destino.
- É isso mesmo. Mas o que é que isso significa?
- Que todas as coisas na vida são determinadas por uma vida anterior. Que neste mundo não há coincidências e que até as coisas mais insignificantes não acontecem por acaso." - Haruki Murakami (Kafka à beira-mar)

Feliz

E já está quase a fazer dois meses que estou no estágio. O tempo passa mesmo rápido é que nem sequer dou por ele. Mas está a ser uma boa experiência. Ao principio foi assustador porque tive que sair da minha zona de conforto, algo que não estava acostumada a fazer, mas depois passou. E parecendo que não ao sair da minha zona de conforto só fez-me bem. Sinto-me diferente, ando mais motivada e feliz. Também tenho dias menos bons mas é como tudo na vida, não se pode ter sempre um mar de rosas, não é verdade? Mas mesmo assim sinto-me bem. E a época do Natal também ajuda muito para a minha felicidade. Mas o estágio está a fazer-me crescer a nível pessoal e profissional, o que é bastante bom para mim. E ando com uma vontade enorme de experimentar novas coisas só que não há tempo para tudo.

sábado, 29 de novembro de 2014

Ódio

Depois da conversa da treta que tive ontem com ele, da maneira fria e crua como tratou-me, pode ser que agora consiga seguir em frente. Mereço alguém melhor do que aquilo. E já muitos disseram que não perco nada, porque ele é um otário. Até um amigo meu disse-me que quando ele abre a boca só diz porcaria e não consegue dizer nem uma coisa de jeito. Agora pensado bem, não sei porque raio fui gostar de alguém como ele. Não quero nunca mais voltar a vê-lo. E nem sequer pensar nele. Gostava tanto de poder apaga-lo definitivamente da minha vida, dos meus pensamentos e do meu coração. Se o encontrar outra vez no comboio não sei como deva reagi, acho que  não vou ter coragem de olhar para ele. Mas cá no fundo das minhas profundezas está a nascer um ódio tremendo por ele.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

O espírito natalício

Durante a manhã, a caminho do estágio, passei por uma pastelaria toda chique! Mas o que deixou-me de bom humor não foram os bolos mas sim a decoração e ouvir a musica de natal que entoava dentro da pastelaria e que ouvia-se perfeitamente cá fora. Isso, trouxe-me um conforto à alma e deixou-me de bom humor durante umas boas horas. Gosto tanto de passar, por cafés, lojas, que transmitem o espírito natalício, parecendo que não, aquece-me e deixa-me de bom humor.






Vi-o outra vez e não consegui resistir e tive que mandar uma mensagem. Fui fraca eu sei! Devia ter resistido. E com isto, obtive uma resposta da treta, mas também o que podia esperar vindo dali? Fui mesmo estúpida por deixar-me ir na tentação.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

A minha colega

Não sei o que a minha colega faz, porque quando o meu "portatil" passa pelas mãos dela vem sempre cheio de vírus e trojans.
Durante o almoço estava muito concentrada a cortar o bife enquanto de repente olho para a minha frente e vejo duas colegas de trabalho, uma a olhar para mim com uma cara que está prestes a gozar e a outra a rir-se. Até fiquei a pensar, será que sou assim tão totó que até faço figuras sem me aperceber?

A figura do dia!

Como hoje houve um evento na empresa, tive que ir toda pipi, de saltos altos e tudo. E como sabem, hoje o dia não estava nada agradável para andar de saltos altos.E além disso, não estou habituada.
Então logo de manhã, na estação de comboios, quando saí do comboio, o piso estava húmido e mesmo assim ia andar muito confiante sem noção nenhuma, e o salto escorrega e dobro o pé e para aparar-me ia segurar-me com o outro pé, só que o sapato do outro pé saí disparado para longe e tive que apoiar-me com o pé descalço. Tive muita sorte em não ter dado uma queda. E depois tive andar meia coxa pela estação fora e ter que passar entre as pessoas para ir apanhar o sapato. É que não estão bem a ver, aquilo saltou e foi para bem longe de mim! Os sapatos já estavam a ficar largos com a chuva.
E quando já ia na escadas rolantes ouvi um gajo atrás de mim a falar para outro "o sapato saltou-lhe do pé." Devo ter sido a personagem principal dos mexericos daquele momento.
Acontece-me com cada coisa!
Mas também foi melhor ter acontecido aquilo ali do que no evento. Isso sim, seria um desastre!


terça-feira, 25 de novembro de 2014

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

"À minha volta ergui uma barreira, atrás da qual me escondo e não deixo nunca entrar os outros." - Haruki Murakami (Kafka à beira-mar)

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

As pessoas lá do meu estágio são umas cuscas de primeira, reparam em tudo! Até reparam na minha comida!

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Hoje reparei que sou a única pessoa na turma que tira apontamentos durante as aulas. Enquanto os outros estão muito atentos a ouvir o docente eu estou ali entretida a passar para o caderno a máxima informação que consigo captar.

domingo, 16 de novembro de 2014


Fui nomeada para o desafio do Liebster Award, proposto pela Maria do Diário de Uma Alma. Desde já, muita obrigada Maria :)
Bem, como eu não sou dada a estas coisas vou só responder às perguntas propostas e não vou nomear ninguém.
E aqui vai!

1. O que mudou, da criança que foste para o adulto em que te tornaste?
Mudaram muitas coisas. Por exemplo, deixei de ser aquela criança ingénua que acreditava em tudo o que lhe diziam.

2. Quem gostarias de ter conhecido mais cedo na tua vida?
Sinceramente, as pessoas mais importantes da minha vida estiveram presentes desde que nasci. E também não tenho assim ninguém que gostaria de ter conhecido mais cedo. Porque acredito que as pessoas que conheci foram na altura ideal. Acho que se fosse mais cedo a amizade não seria a mesma, porque estamos constantemente a mudar, nunca somos as mesmas pessoas de há uns anos atrás ou até mesmo meses.


3. Descreve um dia perfeito, actualmente.
Um dia perfeito para mim, seria um dia de trovoada em que tivesse  no sofá ao pé da lareira e a ver um filme de terror ou a ler um bom livro. Ah! E não esquecer do chá ou do chocolate quente. Isso sim, seria algo maravilhoso *.*

4. Que coisa (uma coisa) precisas fazer para melhorar a tua vida?
Esquecer o moço de vez. E já ando a tratar do assunto!

5. Qual foi o presente mais especial que recebeste nos últimos 5 anos?
Hmmm, nem sei.

6. Qual foi a última vez que fizeste alguma coisa sem pedir nada em troca?
Sempre que possível ajudo os outros. Até ajudei nesta quinta-feira que passou.

7. Se pudesses reviver um dia da tua vida (sem lhe alterar coisa alguma), qual seria?
É difícil de escolher só um, tenho tantos dias que gostaria de reviver!

8. Quê ou quem te drena energia actualmente?
O stress.
 
9. Quando foi a última vez que convenceste a ti mesmo a não fazer uma coisa que, no fundo, querias fazer? 
Aconteceu-me na sexta-feira.

10. (Ainda na sequência da pergunta 9.) Que coisa foi essa?
Cá no fundo apetecia-me falar com ele, mas convenci-me que não valia a pena de estar a rebaixar-me a alguém que não quer saber de mim.

11. Qual foi o ponto alto do teu dia, hoje?
Comprei um livro do Paul Auster a um bom preço. Há muito tempo que queria ler algo deste autor! E  também comprei uma caneca super fofinha do natal para beber com o meu chá.


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Os encontros

E hoje voltei a vê-lo. Só que desta vez ele nem sequer olhou para mim como da outra vez. Mas ele viu-me e ignorou-me, como se fosse uma estranha. E também fiz o mesmo e cá no fundo doeu! Só espero que chegue bem rápido o dia em que possa encara-lo sem sentir nada. E que não dê este aperto no coração. Mas o que anda a valer é o meu estágio porque assim não penso no assunto.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Quando menos se espera as coisas acontecem!

Hoje encontrei ele e não estava mesmo nada à espera. Entrei no comboio e ali estava ele! Comecei a tremer por todos os lados e fiz de conta que não o vi e tentava controlar ao máximo a minha pilha de nervos. Ao fim deste tempo todo ele ainda mexe comigo, algo que não queria. Tentava olhar para outros sítios para não cair na tentação de olhar para ele. E há uma dada altura ele liga não sei para quem, mas pelo tom de voz devia ser alguma rapariga. Ele a falar todo carinhoso e nunca falou dessa maneira comigo. Só utilizava o tom mais querido quando precisava de alguma coisa.  Até que cai na tentação e olhei para ele, e ele já estava a olhar! Notei que ele além de estar a falar ao telemóvel também estava a ter conta em mim. Provavelmente, para ver se olhava para ele. Mas o que deixou-me a pensar foi quando ouvi estas palavras "minha filha", comecei logo a fazer filmes. Mas espero que tenha percebido mal ou que o contexto disso seja outro e não aquele que estou a pensar.
E espero que desta vez consiga seguir em frente!

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Paciência

Hoje no estágio, lá o boss daquilo veio ter comigo e disse que na semana passada andei a faltar muitas vezes. Fiquei mesmo apanhar do ar nos primeiros minutos, não conseguia perceber onde ele queria chegar. Pois, na semana passada estive sempre presente e não faltei nenhum dia. Até que apercebi-me onde ele queria chegar. Então não é que o homem estava a mandar vir, porque havia dias em que não ficava lá o dia todo. Até pensei que o homem estava a gozar comigo. É que no contrato ficou bem explicito e descriminado que nos dias em que tinha aulas só ia de manhã e à tarde ia para a faculdade. E o mais irónico é que foi ele que descriminou os dias e as horas de entrada e de saída. E agora estava a mandar vir comigo porque havia dias que só ia de manhã enquanto no contrato estava estipulado que nesses dias só ia durante a parte da manhã. Até fiquei a pensar se o homem não terá algum problema mental ou se mete nos copos. É que foi uma acusação sem fundamentos!

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Só visto!

Lá ia eu, a caminho da faculdade toda feliz da vida quando deparo-me com uma situação completamente nojenta. Então não é que vi uma velha de cu para o ar a fazer as suas necessidades no meio da rua! E ainda por cima, a velha ficava a olhar para as pessoas a rir-se. Aquilo foi mesmo WTF? Fiquei tão parva ao olhar para aquilo que nem reparei que passei mesmo à frente de um grupo de homens das obras que estavam com o telemóvel a filmar aquilo. Já não bastava-me ver uma cena daquelas, agora também tenho que aparecer no vídeo!

Hoje a minha coordenadora disse-me que estou a trabalhar bem. É sempre bom ouvir essas palavras. É sinal que o meu trabalho está a ser reconhecido e que estou no bom caminho.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Já reparei que muitas pessoas lá do meu estágio, gostam muito falar da vida dos outros. E muitas vezes falam dos outros com eles mesmo ali ao lado e sem se importarem de serem ouvidos. Eu não sou assim, e por isso quase nem falo. E hoje houve duas pessoas que disseram-me que não sou muito faladora. Pois claro, eu estou ali é para trabalhar e não para falar dos outros. Estou muito mais preocupada com o meu trabalho e em desenvolver um bom projecto para que possa abrir-me portas no futuro do que estar a falar de assuntos sem interesse nenhum.


Saudade

Há dias em que penso que já esqueci e outros em que a saudade de o ver e de ouvir a voz dele atormenta-me. Sei que é bom de não o ver, mas mesmo assim, sinto-me transtornada. A minha sorte é de ter o estágio porque ocupa-me a maior parte do tempo e assim, consigo abstrair-me do assunto.

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Só queria deixar o passado para trás e seguir em frente mas não é uma tarefa fácil.

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Halloween

Nos dias de Hallowen tenho a tradição de passar a noite a ver filmes de terror, e hoje não é excepção. Vou-me aconchegar no meu cantinho e ver uns bons filmes de terror. Já tinha saudades de noites como esta.



quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Tive medo de ir mais para a frente na estação porque não queria encontrar-me com certas pessoas. E por isso, fiquei num sitio onde não gosto nada, à espero do comboio. Mas agora arrependo-me, não deveria ter deixado o medo falar mais alto. Para a próxima vou para onde eu quero e sem medos, a vida é minha e faço o que eu quiser. E os outros que se lixem!

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Balmorhea - The Winter



Apaixonada por esta melodia!

As minhas figuras!

Andava pelo escritório toda contente de um lado para o outro até que reparo que o fecho das calças estava aberto e como não tinha ninguém à minha volta,  puxei o fecho para cima assim na descontra. E quando levanto a cabeça para cima deparo-me com uma câmara de segurança. E foi assim que o meu momento infeliz ficou registado!

sábado, 25 de outubro de 2014

"O verme que nos destrói é a tentação de concordar com os críticos, de conseguir a aprovação deles." - Thomas Harris (Hannibal)

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

As coisas que acontecem-me

Hoje no estágio, uma colega minha fez anos. Então, ela trouxe o bolo e cantamos os parabéns. E o bolo era caseiro e não era nada mole. Estava muito bem a tentar a partir o bolo com a colher quando aquilo saí-me disparado do prato para os pés do meu chefe. Eu já toda vermelha apanhar o bocado do bolo e o meu chefe vira-se para mim "Então?". E  eu feita parva, respondi "fugiu". Ás vezes digo com cada coisa mais parva. Passei o resto da tarde a moer-me a cabeça por causa disso.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Hoje estou motivada

Mesmo estando doente e cheia de dores, estou motivada para dar o meu melhor em tudo. Na cadeira que estou a fazer e no estágio. Quero ter sucesso e sei que isso implica em trabalhar muito. Mas estou pronta para isso. Que venha o trabalho árduo, porque sei que consigo! (Nem é todos os dias que sinto-me assim.)

terça-feira, 21 de outubro de 2014

No outro dia, fui a casa de uma amiga e assim que entrei no escritório dela fiquei maravilhada com as estantes cheias de livros. Um dia, quando tiver a minha casa também vou ter um escritório assim, cheio de livros.

domingo, 19 de outubro de 2014

"As pessoas tanto mudam para melhor como mudam para pior." - Haruki Murakami (O Elefante Evapora-se)

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Estou extremamente cansada mas mesmo assim estou a gostar desta experiência nova.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Reencontro indesejado

Assim que te vi no meio da multidão, senti as minhas pernas a tremerem. E vi que estavas muito feliz a falar com ela. Foi aí, que apercebi-me que eu era a única a sentir a tristeza. E que não tinhas nenhum pingo de remorsos pelo sofrimento que fizeste-me passar. Continuei o meu caminho com os olhos postos no chão para não ter que cruzar o meu olhar com o teu. E para não sentir o chão a fugir-me dos pés. E tu, continuaste o teu caminho com ela.

E a minha manhã foi assim



E como hoje, no estágio, havia problemas com o servidor, tive que passar o tempo todo a olhar para o computador sem poder fazer nada. Primeiro dia de estágio e não faço um cu. Parecendo que não, é um tédio não ter nada para fazer.

domingo, 12 de outubro de 2014

Uma nova etapa

E amanhã começa uma nova etapa na minha vida.

Hoje apetecia-me ficar em casa!


Gostava tanto de ficar em casa a ler um bom livro e não ter que ir enfiar-me em casa de outras pessoas.
Hoje, estou nos dias em que não queria ver ninguém.


terça-feira, 7 de outubro de 2014

Ando a pensar seriamente em eliminar algumas pessoas do meu facebook. Fazer uma limpeza drástica. E tenho que passar a ir menos vezes lá.

"Friends are a weird thing. It seems like they know all about you, but then they don’t understand you at all." - Natsuo Kirino (Real World)

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

No funeral não sabia o que dizer ou fazer para confortar as pessoas. O sofrimento era tanto da parte da família que não sabia como reagir. Eu também não sou lá muito boa a interagir com pessoas e depois em momentos como estes não sei mesmo. Dizia força e coragem, mas isso são simples palavras que não confortam ninguém. É fácil dizer "é preciso muita força e coragem" mas isso não dá nenhuma das duas coisas. Por isso, a maior parte do tempo ficava no meu cantinho sem fazer nada. Não é que era fria ou coisa que o valha é que não sabia o que fazer perante tanto sofrimento. Deixava as pessoas falarem com outras e não aproximava-me. Não fazia por mal só que não sabia o que dizer ou o que poderia fazer. Podem ter-me julgado ou pensado coisas de mim. Mas não fiz por mal.

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

A vida

Hoje recebi uma notícia triste,  a morte de um amigo da família. Fiquei em estado de choque. E depois comecei a pensar na vida como esta dá voltas e voltas.
Há uns anos, ele foi diagnosticado com um tumor e andou em tratamentos e correu tudo bem. Ficou bem de saúde. Andava feliz e tudo parecia correr tudo do melhor. Até fez um ano de casamento em Setembro.
Mas em Agosto, apareceu novamente um tumor, andou novamente a fazer tratamentos, e todos pensaram que ia correr tudo bem e que ele conseguia vencer como da outra vez. Só que, não conseguiu. E foi um choque para todos. É tão triste, como podemos estar tão bem agora e daqui um mês podemos estar mal.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Mais coisas de entrevistas

No dia na entrevista disseram-me que iam contactar-me outra vez para fazer mais entrevistas para avaliarem o meu conhecimento. E que as próximas entrevistas iam ser com alguém da minha área para fazerem-me perguntas técnicas. E caso demorassem a entrar em contacto comigo deveria ser eu a entrar em contacto para saber se ainda demorava muito. E como não diziam nada, e de acordo com o que tinham-me dito, resolvi mandar um mail. E não é que para o meu espanto, dizem que já não ia haver mais entrevistas porque já não havia vagas.  Então porque raio disseram aquilo?
Não é nada bonito de andarem a enganar as pessoas.

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Coisas de entrevistas

No meio da entrevista, o entrevistador perguntou-me quais eram os meus hobbies. E eu toda contente  respondi: "é ler". E ele olha para mim com uma cara, como se tivesse dito a coisa mais estúpida do mundo. Até fiquei a pensar se não tinha percebido mal a pergunta. E ele lá fez novamente a pergunta:

"Mas não tens hobbies? O que gostas de fazer nos teus tempos livres? Por exemplo, fazes desporto?"

E eu como não faço desporto tive que responder que não. E ele vira-se: "portanto sem hobbies."
Na lógica do homem ler não é considerado um hobbie. Não vejo qual o problema de gostar de ler nos tempos livres.


Estava tão bem sem saber de ti, até que entro no facebook e deparou-me com uma gaja a mencionar-te num post. E doeu-me tanto, era como se tivessem espectado uma faca no peito.

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

terça-feira, 23 de setembro de 2014

A vida continua


Um capítulo acabou e agora é iniciar outro novo. Começar a construir-me aos poucos e poucos. Sinto-me viva e pronta para começar desde do inicio.  

domingo, 21 de setembro de 2014

Preciso ir para bem longe, preciso desaparecer por uns meses e depois voltar. Preciso fugir dos meus pensamentos que assombram-me à noite e que não me deixam dormir. Preciso esquecer de tudo e de todos. Não quero pensar, só quero esquecer tudo o que atormenta-me.

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Preciso tirar um curso para aprender a falar em entrevistas de emprego. É que preciso mesmo!
Muitas das vezes pareço uma retardada a falar. E pior, com os nervos, digo a primeira coisa que me vêm a cabeça, principalmente as coisas menos inteligentes. E esqueço-me com facilidade das coisas. Tenho que aprender a controlar os meus nervos para conseguir pensar primeiro antes de falar.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Um problema meu

Crio demasiadas expectativas em relações às pessoas, E depois quem se lixa sou eu!

terça-feira, 9 de setembro de 2014

E hoje o blog faz um ano!

Foi exactamente há um ano em que criei este cantinho aqui.
Tanta coisa mudou desde então, tanta mudança na minha vida. E digo-vos que eu também mudei, já não sou a mesma rapariga daquela altura. As mudanças da vida também fazem com que mude.

E por pura coincidência, hoje tive a minha primeira entrevista de emprego. Estava tão nervosa que até as minhas pernas tremiam. O homem até foi simpático, pôs-me a vontade e tudo. Mas mesmo assim, tremia por todos os lados e não conseguia falar como uma pessoa normal. Fartava-me de gaguejar e dizia coisas sem sentido. Ele deve ter reparado logo. E depois ele até começou a fazer perguntas meio estranhas. A perguntar já coisas de mim mesma. Por exemplo, o que gostava de fazer, se fazia algum desporto, se saía a noite, este tipo de perguntas pessoais. E a pergunta mais estranha que fez, foi se tinha namorado. Apanhou-me de surpresa mas tentei responder com a maior naturalidade.
Achei bastante estranho as perguntas, mas como nunca fui a nenhuma entrevista, pode até ser normal, não sei.
Há um ano, nunca imaginava-me que ia a uma entrevista de emprego é que nem se quer pensava no assunto.

domingo, 7 de setembro de 2014

"Neste mundo, há pessoas que nunca saberão a profundidade de sentimentos." - Haruki Murakami (O Elefante Evapora-se)

O mundo lá fora

Tenho medo do mundo lá fora, sei perfeitamente que não estou preparada para o mercado de trabalho.
Já ouvi que ninguém está preparado para o mundo profissional, porque vai haver sempre coisas que nunca ensinaram na universidade e vão ter que aprender sozinhos. Mas mesmo assim, faz-me pensar se vou conseguir fazer o que pedem. Será que vou conseguir aprender sozinha e conseguir desenrascar-me? E caso isso não aconteça o que vai ser de mim?
As coisas que sei, são o básico do básico, preciso de formação, de um estágio, algo que faça aprender. Mas e as empresas querem dar ao trabalho de meter uma totó, como eu, aprender?
O medo instala-se cada vez mais e depois começo a pensar nas entrevistas. Eu não sou uma pessoa comunicativa e nem sociável. Como vou conseguir passar a ideia que sou a pessoa certa entre os outros candidatos? Ou melhor, como vou destacar-me entre os outros? Se calhar nem passo da entrevista, ou mesmo que passe, nem devo durar muito tempo lá dentro.
Estou a ser negativa, mas é o que sinto agora. O desconhecido aterroriza-me.
A verdade é que não faço a mínima ideia como é o dia a dia numa empresa, o único mundo que conheço é o mundo onde tenho que estudar para os exames e fazer trabalhos para passar a uma cadeira.

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Há dias em que a dor é tanta, que já não consigo conter-me e ponho-me a chorar como uma criança. Sem me importar com o que os outros podem pensar.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

"Quando uma pessoa passa por uma experiência assim tão intensa, para não dizer violenta, sai dela transformada, queira ou não queira."  - Haruki Murakami (O Elefante Evapora-se)
"Os tempos mudam. As pessoas também." - Haruki Murakami (O Elefante Evapora-se)

A minha vida neste momento!

Hoje fiz a inscrição nas cadeiras que me faltam para acabar o curso. Neste semestre só vou ter uma cadeira. E vai-me custar tanto de ir para lá só para ter uma aula. E vai-me moer o espírito por saber que já devia ter acabado e não consegui. Que podia, agora estar num mestrado em outra faculdade e que já podia começar a trabalhar e começar a fazer a minha vida.
Agora ando a enviar cv's para estágios mas até agora nada. E também ando a procura de algum part-time, mas ainda não consegui nada. Mas não vou deixar-me ir abaixo e sei que ainda vou conseguir algo, pelo menos é o que espero!

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Respeito é o que falta a muita gente por aí

Muitos não vão concordar com as nossas ideias e nem com as nossas opiniões. De facto, vamos encontrar muitas pessoas com teorias completamente diferentes das nossas. E isso é a coisa mais natural que pode existir. Nem todos somos iguais, e cada um tem a sua perspectiva e a sua maneira de ver as coisas. E cada um tem o direito de acredita naquilo que bem entender. E ninguém tem o direito de julgar ou insinuar o quer que seja só por alguém ter uma opinião diferente. Só têm que respeitar isso e mais nada.

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Aquelas pessoas que não gostam de ler porque perde-se muito tempo

Conheço uma rapariga que é ex namorada de um colega meu. E ela diz que não gosta de ler livros porque perde-se muito tempo. Mas que raio!
Não consigo perceber a lógica da miúda, a sério que não! 
E depois ela é do género de pessoa que gosta de escrever indirectas no facebook. Como no outro dia escreveu: "Há pessoas que não se enxergam". Realmente, ela não deve conseguir enxergar a porcaria que diz.
Mas é engraçado, que para escrever esse tipo de coisas já não é uma perda de tempo mas para ganhar um pouco de cultura e de inteligência já é uma perda de tempo. 
Nunca vou conseguir compreender a lógica deste tipo de gente.





domingo, 24 de agosto de 2014

"Na vida, existem escolhas erradas que podem levar a bons resultados e escolhas certas que conduzem a situações desastrosas."  - Haruki Murakami (O Elefante Evapora-se)

De volta a casa

Acabei de chegar e já apetece-me voltar outra vez para a terrinha. Já estou com umas saudades enormes de estar lá, na companhia dos meus livros e ouvir a natureza e estar longe de tudo e de todos. Soube-me mesmo bem estar longe desta vida que levo cá. Não importava-me mesmo nada de arrumar os trapinhos e ir viver para lá.

sábado, 16 de agosto de 2014

Tudo volta-se a juntar

Estava uma bela noite de verão onde a lua brilhante pairava lá no alto e iluminava as ruas sem luz. Uma bela noite para se sair e descontrair e apreciar as festas de verão. Ela adorava noites como estas. Adorava caminhar e observar as pessoas. E foi aí que reparou num rapaz que se encontrava num cantinho também a observar as pessoas. Ela reconheceu-o logo. Lembrava-se bem dele. Brincavam juntos quando eram crianças, ele achava-a uma chata do pior e ela pelo seu lado adorava-o. E agora, por mera coincidência, voltaram-se a reencontrar. Encontravam-se ambos destroçados. Assim que ele a viu, veio ter logo com ela para a cumprimentar. Ele também se lembrava dela. Quando ele pousou a mão no braço dela para dar dois beijinhos, ela sentiu o calor da mão dele e inalou o seu perfume doce e todos os fragmentos que tinham sido partidos dentro dela voltaram-se a juntar.

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Há alturas em que penso que já consegui superar mas quando sou confrontada com a situação ainda sinto um aperto no coração.


terça-feira, 29 de julho de 2014

Uma mulher para uma criança de 8 anos: Pareces a Pocahontas.

Criança: Mãe o que é a Pocahontas?

Mãe: É um pokemon.


segunda-feira, 28 de julho de 2014

O começo de um novo capítulo



E hoje começa um novo capítulo na minha vida. Finalmente fechei uma porta em que teimava em não fechar, agora é seguir pela porta que abriu e tomar o meu rumo. E para isso fiz esta pequena lista de coisas que quero fazer.

- Fazer ioga
- Acordar cedo
- Ler mais livros
- Ver mais filmes (filmes de terror é o que me fazem falta)
- Tonificar o corpo (quero ter um corpo fit ^.^)
- Começar a escrever um livro
- Aprender coisas novas
- Procurar emprego
- Fazer voluntariado
- Ajudar mais os outros
- Acabar a licenciatura (fiquei com cadeiras para trás '-.-)

E pronto, começo com esta lista pequena. De certeza que ao longo do tempo hei-de acrescentar mais coisas. Mas para já, vou tentar realizar estes objectivos.


Errar é humano

Cometi muitos erros ao longo da minha vida e dos quais arrependo-me. Sim errei, fiz coisas que não deveria fazer, mas agora é tarde para voltar atrás e mudar. E a única coisa que posso fazer para remediar esse erro é assumi-lo e pedir perdão. E tentar perdoar a mim mesma por ter cometido tal acto. Mas errar é humano, não sou perfeita e ninguém o é. O problema é que parece que as pessoas vão sempre atirar-nos a cara e culpar-nos pelo aquilo que fizemos mesmo quando assumimos que estamos errados e pedimos desculpas.
Não é os nossos erros que vão definir-nos, é a nossa atitude perante o erro que cometemos.

sábado, 26 de julho de 2014

Pessoas que só nos fazem perder tempo

Muitas vezes penso para comigo, para quê estar ao trabalho de ir meter conversa com alguém que deixa sempre a conversa morrer. Para quê tentar sempre falar com alguém que nem um simples esforço faz para continuar a conversa. Para quê ser a única pessoa que quer falar e que faz o esforço para ter a conversa activa enquanto a pessoa do outro lado não tem interesse.
Não vale a pena, para mais que goste dessa pessoa não vale a pena dar ao trabalho. Mas quando precisou de ajuda, soube vir meter conversa e não deixou-a morrer. É triste saber que só um é que se importa, só um é que sente. E com esse tipo de pessoa nem vale a pena de falar do que sentimos porque simplesmente não quer saber.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Voltei

E cá estou eu de volta ao fim de umas semanas ausentes por causa dos exames.
Houve exames que não correram lá muito bem, mas pronto, agora descansar e aproveitar estas férias ao máximo. E meter as leituras em dia que bem preciso.



segunda-feira, 30 de junho de 2014

A etapa final


E já entrei agora na etapa final, vou aos meus últimos exames e agora é tudo por tudo. Agora é que vou-me esfolar viva para conseguir passar a estas cadeiras.
Nós somos aquilo que somos e não o que os outros dizem de nós.

domingo, 29 de junho de 2014

"People believe those fairytales about falling in love at first sight at the bus, subway, or at the streets. But it doesn’t make sense how they’d laugh at the ones who fell in love at first sight through TV screens. Loving celebrity is a type of love. Love is fair to everyone." -  Tablo (source)

So true


sábado, 28 de junho de 2014

É  irónico quando as pessoas acham que são boas pessoas só porque não fazem mal a ninguém, só que esquecem-se que as palavras também magoam.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

terça-feira, 24 de junho de 2014

Devo ser a única gaja do curso que não anda agarrada e nem aos beijos com os gajos do curso. Deve ser por isso que não sou considerada uma fixe!

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Descobri hoje que um colega meu publicou um livro. Aí que inveja eu tenho!

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Os horrores da ecografia pélvica

O horror sobre fazer a ecografia pélvica é chegar lá com a bexiga cheia e saber que não vou ser atendida a hora prevista e que estão com um atrasado de 30 minutos mas o pior ainda é apanhar com uma velha que não sabe fechar a matraca e só atrasa ainda mais a coisa.

E foi o que aconteceu-me no sábado de manhã.

Eu quase que não aguentava mais estar e lá por milagre chamaram-me, mandaram-me entrar lá para um cubículo e aguardar um instante. E entretanto chamam uma velha e a velha assim que chega lá dentro começa a disparatar lá com a auxiliar, fica lá mais do que 15 minutos com a matraca aberta. Eu aflita dentro do cubículo, mal conseguia estar, e a velha não se calava nem um minuto. Lá refilava porque entraram pessoas que chegaram depois dela, que está com a bexiga cheia desde as 9 horas da manhã  e porque não podia levantar o exame naquele dia porque ia estar fora de portugal e porque aquilo e mais aquilo e não se calava nem um minuto. E para calar a mulher a auxiliar teve que passa-la a frente. E eu ali que mal podia, só queria que ela cala-se  e fosse lá dentro e fizesse o exame o mais rápido possível para depois ir a seguir. E sabem o que ela fez quando entrou lá dentro? Abriu a matraca mais uns 15 minutos. E lá a médica antes de estar a fazer-lhe o exame teve que estar a ouvi-la. E eu já num estado quase para lá do que para cá, só queria que ela cala-se de uma vez por todas e fizesse o exame.




Leya levas-me à falência.

Livros do Haruki Murakami a 50% de desconto, deixa-me completamente eufórica!

Heart vs Brain



Muitas das vezes não queremos ver a verdade e iludi-mos com desculpas parvas e sem sentido. E depois magoamos porque damos ouvidos ao que não interessa.  Ouvimos o nosso coração que a maioria das vezes é cego. E depois quem se lixa, somos nós. Tentamos criar desculpas para justificar actos que são claros como a água. Parece que não queremos ver a verdade e queremos ficar cegos, mas a verdade está mesmo a frente do nossos olhos e mesmo assim teimamos em não querer olhar para ela. Mas o mais difícil, é lidar com o que sentimos e saber que merecemos o oposto. É tão difícil equilibrar os sentimentos com a razão. O nosso coração diz-nos uma coisa e o nosso cérebro diz-nos o que é o melhor.

domingo, 8 de junho de 2014

Todos nós precisamos de desabafar, contar os nossos medos e as nossas angústias. E temos tendência de falar com aqueles que são mais próximos. Só que a outra pessoa muitas vezes não sabe ouvir e diz sempre que estão pior do que nós. É o que muitas vezes vejo, pessoas a tentarem desabafarem os seus medos aos  amigos e eles antes de darem palavras amigas e corajosas atacam-nos dizendo que se encontram numa pior situação do que eles. Pode até ser verdade, mas isso, não vai motivar os outros ou dar força, vai fazer exactamente o contrário. Já vi isso acontecer muitas vezes, principalmente na faculdade. Quando as pessoas tem medos de não conseguirem passar nos exames. Na outra semana, por exemplo, observei esta cena:

Rapaz: "Tenho tanto que estudar que nem sei se vou conseguir passar a tudo."
O amigo estúpido: "Não te queixes que eu estou muito pior do que tu, tenho dois exames seguidos e ainda queres que te diga mais?"

A meu ver o rapaz nem estava a queixar-se, estava a exprimir um medo dele, o medo de fracassar. E a outra besta nem isso consegue perceber e começa logo atacar a dizer que está pior do que ele.
Muitos não sabem ouvir os outros e só se preocupam com eles mesmos.

sexta-feira, 6 de junho de 2014



It's time to work a little harder

E hoje já estou melhor. Aos poucos e poucos estou a voltar em mim. E deixar este episódio triste de lado e seguir em frente. E continuar a lutar por aquilo que acredito. Agora, que já não vou ter mais contacto com os meus colegas, sinto-me mais aliviada. É esquecer este momento triste e seguir em frente.
Como dizem, depois da tempestade vem a bonança. E cá fico a espera do melhores dias que hão-de vir por aí.
E agora estudar e dar o meu melhor nos exames e acabar com estas cadeiras. Já que a outra já não posso fazer nada.



quinta-feira, 5 de junho de 2014

É oficial (mais desabafos deprimentes)

Não é este o ano que acabo a licenciatura. Chumbei na discussão de trabalho, por falhar uma pergunta e por estar nervosa. E o que mais me enervou-me foi ver a satisfação na cara dos meus colegas e ainda a sorrirem para mim. A sério, só apetecia-me ir-lhes ao focinho. E depois o professor gostou bastante do meu colega (aquele ordinário que é da Jeová que falei neste post), pois ele tem bastante lábia a falar (deve ser do hábito de andar a bater porta a porta e a falar com as pessoas). Como eu sou uma atrasada a comunicar com as pessoas fui logo chumbada. Mas o erro também foi meu, ele ontem disse para hoje irmos de manhã para ver o trabalho e eu iludi-me com isso e a pensar que ele estava a ser um bom colega. Chego lá hoje de manhã estava ele muito bem com uma gaja ao lado e com os amigos dele e disse-me que não podia. Eu ainda sou parva por acreditar na simpatia dele. E depois aconteceu o que aconteceu.
Vim o caminho todo a chorar e com uns nervos em cima. Agora por causa disso, estou cheia de dores onde está localizado o meu tumor benigno. A médica bem avisou-me que o meu estado de humor influencia nas dores e no crescimento. E para andar calma enquanto o meu problema de saúde não estiver resolvido, só que com estes c****** é difícil andar calma.
Este ano está a ser completamente horrível. Só espero que o karma os f*** com um F grande.

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Amanhã...

É já amanhã a discussão de trabalho lá com aquele grupo maravilha. Só sei que tenho um pressentimento que as coisas não hão de correr do melhor para o meu lado.
Amanhã cá  estarei a choramingar.

segunda-feira, 2 de junho de 2014


I am strong, love is evil
It's a version of perversion that is only for the lucky people




Não gosto das músicas do Anselmo Ralph, mas parece que agora não se ouve outra coisa. Entro no facebook e só vejos pessoas a partilharem músicas desse gajo.
Hoje quando estava no comboio, reparei que o puto que ia ao meu lado estava sempre a olhar para mim. O puto deveria ter entre os 16 e os 18 anos, mais do que isso não tinha de certeza. Até sentia-me inconfortável com aqueles olhares todos. E entretanto o puto levanta-se para sair e diz-me "xau" a olhar-me com uma cara de parvo. Eu não consegui conter-me e tive que me rir, só faltava ter lhe dito "até a próxima".
É o que faz de eu parecer uma pita.

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Desabafos (muito deprimente)


Tenho andando cada vez mais em baixo. Agora não há um único dia que passo sem vontade de chorar e de meter-me aos berros. Cada vez mais, ando a perder o interesse pelas coisas. Agora não apetece-me fazer nada, não apetece-me estudar, não apetece-me ver Hannibal (só por aí, vê-se logo que estou doente), não apetece-me ver filmes, nem ler, nem ouvir musica, simplesmente não tenho vontade de fazer nada, mesmo nada. Há quem diga que isto é um sinal de depressão.
Depois tudo assombra-me, tenho tanto medo de não conseguir acabar a licenciatura, e depois vem as dúvidas se eu gosto realmente deste curso ou não. Nem sei o que fazer da minha vida. E depois sinto que não sou útil em nada, nem com os trabalhos de grupo. Sinto-me um peso enorme nas costas dos meus colegas. E depois iludo-me com as pessoas erradas, penso que elas importam-se comigo mas na realidade não. Sinto-me tão estúpida por pensar que aquela certa pessoa importava-se comigo e afinal não, nem um bocadinho. E sinto-me estúpida por dar valor a alguém que só faz-me sofrer e que nem quer saber de mim. E sinto que não sou capaz de fazer nada. Nem estou preparada para ir para o mercado de trabalho e nem sei se consigo entrar em mestrado e  nem sei que mestrado escolher.
Só apetece-me mandar tudo pelos ares e simplesmente desaparecer...